Grupo de Estudos UniTEA – inscrições encerradas!

Agradecemos aos mais de 85 inscritos para o nosso grupo de estudos, que ocorrerá na Joy Espaço de Desenvolvimento Infantil, parceira UniTEA, no dia 13/6. As inscrições encerradas e estamos trabalhando com uma lista de espera para uma próxima oportunidade, pois não temos mais lugares. Obrigada a todos pela compreensão.

Parabéns, Sophia Carolina!🎊💖Parabéns, Vitória Beatriz!💖🎉

Sophia, hoje faz 6 anos que você nasceu e só podemos te agradecer por tudo que nos ensinaste e pelo sentido infinito de amor que trouxeste para nossas vidas! É tão profundo esse sentimento que nos conecta que não há como expressá-lo em palavras. É especial, divino, inenarrável! Aprendemos contigo diariamente, através da alegria e da pureza que transbordam do teu coração! Te amamos muuiiiiiiittoooo!!!Feliz aniversário e que Deus te proteja sempre, filha amada!!!#gratidão#amorinfinito#

Vitória, querida! Tudo o que desejamos para a nossa Sophia desejamos também a ti, minha flor! Você é a amigona da Sophi e muito especial para todos nós! Parabéns pelos teus 8 anos de vida!!!

Sugestões de filmes na área da educação especial

DEFICIÊNCIA FÍSICA

1. Ferrugem e Osso

2. Espíritos Indômitos

3. Amargo Regresso

4. Carne trêmula

5. Feliz ano velho

6. Nascido em 4 de Julho

7. O óleo de Lorenzo

8. O Homem Elefante

9. The Other Side of the Mountain – Uma janela para o céu (Parte 1 e 2)

10. Dr. Fantástico

11. Johnny vai à guerra

12. Meu pé esquerdo

13. Inside I’m Dancing

14. The Best Years of Our Lives

15. Mar Adentro

16. Murderball

17. As sessõoes

18. Intocáveis

19. Gabi, uma história verdadeira.

DEFICIÊNCIA AUDITIVA

1. A música e o silêncio

2. Filhos do silêncio (Children of a lesser God, 1986)

3. Adorável professor (Mr.Holland’s opus)

4. O piano

5. O país dos surdos

6. The Dancer

7. Black

8. O filme surdo de Beethoven

9. O segredo de Beethoven

10. Los amigos

11. Querido Frankie

12. Tortura silenciosa

13. And Now Tomorrow

14. Cop Land

15. And Your Name Is Jonah

16. Sweet nothing in my ear

17. Personal Effects

DEFICIÊNCIA INTELECTUAL/COGNITIVA

1. City Down

2. Forrest Gump, o contador de histórias

3. Gaby, uma história verdadeira

4. Gilbert Grape – Aprendiz de sonhador

5. Meu filho, meu mundo

6. Benny & Joon: Corações em conflito

7. Dominick and Eugene (Nicky and Gino)

8. O Enigma de Kaspar Hauser

9. O guardião de memórias

10. O oitavo dia

11. Simples como amar

12. Uma lição de amor

13. Shine – Brilhante

14. Mozart and the Whale (Loucos de amor) (en)

15. O óleo de Lorenzo

16. Eu me chamo Elisabeth

17. Inside I’m Dancing (en)

18. Meu nome é Radio

19. O Primeiro da Classe (Front of the class / Síndrome de Tourette)

DEFICIÊNCIA VISUAL

1. O Sino de Anya

2. Além dos meus olhos

3. Perfume de mulher

4. À primeira vista

5. Dançando no escuro

6. Demolidor

7. Castelos de gelo

8. Ray

9. Quando só o coração vê

10. Um clarão nas trevas

11. Jennifer 8 – A próxima vítima

12. La symphonie pastorale

13. Vermelho como o céu

14. Eu Não Quero Voltar Sozinho

DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA

1. Amy

2. O Escafandro e a Borboleta

3. Helen Keller and Her Teacher

4. O milagre de Anne Sullivan (br) / O milagre de Helen Keller (pt)

5. The Unconquered (Helen Keller in Her Story)

6. Cegos, surdos e loucos

7. Sob suspeita

8. Uma lição de amor

9. Experimentando a vida

10. Black

11. Borboletas de Zagorsk

AUTISMO

1. Meu amargo pesadelo

2. Meu filho, meu mundo

3. O garoto que podia voar

4. Rain man

5. Gilbert Grape: aprendiz de sonhador

6. Retratos de família

7. Testemunha do silêncio

8. Prisioneiro do silêncio

9. A sombra do piano

10. A lenda do pianista do mar

11. Código para o inferno

12. Ressurreição

13. Experimentando a vida

14. Uma viagem inesperada

15. Loucos de amor

16. Um certo olhar

17. Um amigo inesperado

18. O nome dela é Sabine

19. Ben X: a fase final

20. Autismo: o musical

21. Sei que vou te amar

22. Mary e Max: uma amizade diferente

23. A menina e o cavalo

24. A mother’s courage: talking back to autism

25. Adam

26. Temple Grandin

27. Meu nome é Khan

28. Ocean Heaven

29. Um time especial

30. Tão forte, tão perto

31. Arthur e o infinito: um olhar sobre o autismo

32. White frog

Vamos COMPARTILHAR…talvez, assim, a sociedade compreenda melhor as dificuldades de quem nasceu para ser “especial”.

Sobre amor e preconceito

O preconceito é algo que, infelizmente, ainda está por todos os lados. O preconceito não está apenas nas palavras ditas. Nas grandes agressões. Está, principalmente, no não verbal. Naquilo que não precisa de expressão oral. Nos olhares curiosos e piedosos de quem tenta disfarçar. É algo tão sutil e, ao mesmo tempo, tão visível aos olhos daqueles que amam verdadeira e profundamente os seus. É preciso despir-se de vaidades e grandes planos egóicos para tocar o coração de crianças neuroatípicas, ou ainda, pessoas especiais. Não no sentido que normalmente é atribuído a essa palavra, mas pelo sentimento mais profundo de amor e gratidão. Ser especial não está no fato de abrandar a maneira de referir-se às limitações que algumas configurações neurológicas impõem. Ser realmente especial está na capacidade de tocar o fundo da alma com um simples olhar. No entanto, para que isso ocorra, faz-se necessário que o interlocutor possua a habilidade enxergar muito além daquilo que os olhos podem ver. Faz-se necessário que este abandone o orgulho e vista-se de amor. Outro dia, ouvi alguém perguntar sobre a inclusão. Não sobre a inclusão que, num ato de “caridade” ou “esforço”, permite que nossos filhos ou entes queridos frequentem o mesmo ambiente escolar que foram preparados para os neurotípicos, sobre a inclusão de fato. E de atos! De atos de amor, compreensão e tolerância com a dificuldade alheia. Seja ela sensorial, motora, cognitiva ou qualquer outra. Então, vou responder a tal pergunta: sim, ainda falta muito! E falta muito mais para que haja o entendimento de que o caminho não está apenas nos cursos ou palestras. O conhecimento teórico é importante, sim. Mas não é tudo. O conhecimento teórico é mais um instrumento, uma ferramenta para que a  inclusão aconteça.  Seja na escola ou na sociedade. Porém, o essencial para que a verdadeira inclusão aconteça, é algo inato. Algo que está em nós: o amor.  A inclusão será mais do que uma  palavra bonita quando todos perceberem  que conviver com alguém especial significa aprender, muito mais do que ensinar.

Com todo o meu amor,

Raquel Ely

Feliz Dia das Mães!

Parabéns pra você, mãe que a mídia não mostra. Mãe que não aparece nos comerciais de tv e nos vídeos de homenagens que pipocam na internet nessa época do ano.
Parabéns pra você que recebeu, com um tapinha nas costas, um prognóstico médico de que seu filho não viveria até fazer 2 anos de idade.
Ou que, provavelmente, nunca falaria e nunca seria independente.
Parabéns pra você que ouviu do médico ou do psicólogo que seu filho estava assim por falta de estímulo dos pais.
Parabéns pra você que chorou escondido por meses, e até anos. Tudo para que seu filho não visse. Tudo para que o marido, que estava pior que você, não visse também.
Parabéns pra você que já ouviu centenas de vezes que seu filho fica muito tempo no tablet, e que você deveria incentivá-lo a se interessar por outras coisas. Como se você já não fizesse isso há anos, incessantemente, sem sucesso.
Parabéns pra você que escuta as pessoas se referirem à sua filha como “a que tem problema”.
Parabéns pra você que escuta dos outros que é “especial” e “escolhida por Deus”, como se isso fosse algum prêmio de consolação.
Parabéns pra você que ouviu, de várias escolas e de várias formas diferentes, que elas não querem o seu filho.
Parabéns pra você que acabou de descobrir que o coleguinha de sala da sua filha fez uma festa de aniversário e só ela não foi convidada.
Parabéns pra você que escuta a amiga contar todas as peripécias do filho de 5 anos, que já sabe o abecedário em 3 idiomas. Você lembra que seu filho ainda usa fraldas e nem sequer fala, engole a própria tristeza, força um sorriso e diz “estou tão feliz por você!”.
Parabéns pra você que suporta o olhar penetrante do outro toda vez que seu filho faz um barulho estanho na rua. Que suporta o olhar recriminador do outro cada vez que ele tem uma crise. Que escuta outras crianças comentarem “papai, por que ele baba?”.
Parabéns pra você, que leva o seu filho ao playground, vê as outras crianças saindo e escuta “vamos embora porque chegou o esquisito”.
Parabéns pra você que vê todos os vídeos de apresentações de Dia das Mães das suas amigas no Facebook, pensa que, talvez, nunca verá seu filho falar um simples “eu te amo”, rola a página e segue a vida.
Parabéns pra você que não pode ficar velha, doente, com depressão. Porque seu filho depende totalmente de você. E vai continuar dependendo mesmo depois de adulto.
Parabéns pra você, mãe de uma criança negra, que a vê passar exatamente pelo que você passou: sofrer racismo diariamente na escola, na aula de balé, na loja do shopping.
Parabéns pra você, mãe e mulher negra, que já ouviu várias vezes que sua filha é “exótica”.
Parabéns pra você que vê seu filho chorar e dizer que tem o cabelo “ruim”.
Parabéns pra você que a mídia não mostra. Que não aparece no comercial bonito feito pra chorar no Dia das Mães.
É difícil ser qualquer uma dessas mães.
Mas, mais difícil ainda é ser uma criança “diferente” em um mundo que não inclui, não aceita e não abraça a diversidade.

As Marias

Tem Maria que usa azul e panfleta sem cansar

Tem Maria que já usou e que hoje não quer mais usar

Tem Maria que vai à caminhada e fala sobre conscientização

Tem Maria que já está cansada de assistir autismo até na televisão

Tem Maria que é ativista e fala no microfone

Tem Maria que já cansou de acreditar nas promessas dos “homens”

Tem Maria que tem paciência para todo tipo de leitura.

Tem Maria que a paciência anda curta e ela pouco atura.

Tem Maria que tem certeza que foi por Deus escolhida

E que Ele lhe confiou uma Bela Missão

Tem Maria que em nada disso acredita

Acha que tudo não passa de pura ilusão.

Quando estas mulheres vão dormir, beirando a exaustão

Não importa, tanto faz;

Independente da religião

as Marias se tornam completamente iguais…

Em um gesto uníssono

as Marias unem as mãos,

Os lábios em oração

Rogando aos Céus proteção

Suplicam ao Senhor

Por seus filhos:

“Pai, por favor,

A cura a eles dai!”

Para a sociedade, as Marias imploram

Que Deus lhes cure a alma

Apagando o preconceito

E restitua-lhes a calma

Calma para o autismo compreender

Calma para o autismo aceitar

Calma para o autismo entender

E finalmente para seus filhos respeitar.

Pode ser que as Marias não concordem sobre esta ou aquela questão;

Mas é inegável que amam seus filhos com toda dedicação!

Não medem esforços! Marias se doam sem pensar…

Afinal, são vários leões por dia para matar!

A grande verdade é que não existe Maria certa nem Maria errada,

Pois todas nós estamos unidas, irmanadas

Na mesma imensa dor

E, principalmente, pelo mais belo AMOR!

Por isso, amiga,

Nesta nossa longa jornada

Não importa como você gosta (ou não) de ser chamada

Seja guerreira, escolhida

Ou até mesmo que você não se sinta preparada.

O mais importante é que saibamos

Que sozinhas jamais estamos

Pois a dor que dilacera o seu coração

Eu compreendo perfeitamente, porque não ?

Não devemos dores comparar

E sim, apenas nos amparar

Pois o que nos une é mais forte

Do que as nossas supostas diferenças

Somos espelhos umas das outras

Empatia, essa deve ser a nossa essência.

Denise Aragão

Madrinhas e padrinhos azuis

Hoje fechamos nosso 20º apadrinhamento graças à parceria com algumas madrinhas/padrinhos azuis,  que muito gentilmente acreditaram e apoiaram nosso projeto “Apadrinhe uma criança autista”. Muito obrigada em nome do UniTEA e, principalmente, em nome das 20 famílias que receberam o auxílio de vocês!!

Um abraço,

Fundadores UniTEA4061e282-749a-4610-9a04-9be5a3a29efc-original