voltar
16.05.2019
Passo Fundo

IV Seminário de Educação Especial Inclusiva e de Direitos Humanos

Instituto UniTEA participa de evento educacional em Passo Fundo


Nos dias 14, 15 e 16 de Maio, ocorreu em Passo Fundo o IV Seminário de Educação Especial Inclusiva e de Direitos Humanos. A Vice-Presidente do UniTEA, Franciele Michelon, fonoaudióloga Especialista em Neurociências aplicada à Linguagem e à Aprendizagem, esteve presente nesse evento organizado pela Faculdade IMED. Franciele destacou que a concreta inserção no mercado de trabalho passa pela inclusão escolar. "Só se consegue ter uma inclusão no mercado de trabalho aonde a inclusão escolar foi bem sucedida", destacou ela. E para que isso aconteça, ela explica que é primordial investir em uma Educação de Potencialidades em que se observam as competências da criança e se trabalha em conformidade com elas, levando em conta que o autismo é uma patologia diferente e há a necessidade de se explorá-la de maneira singular. De acordo com a especialista, a Educação de Potencialidades pode favorecer o desenvolvimento da autonomia e da confiança, valendo-se de suas maiores habilidades.

Em 2012, a Lei Berenice Piana, nº 12.764, reconheceu o Transtorno do Espectro Autista (TEA) como uma deficiência, passando a garantir direitos e deveres aos portadores. Mesmo com todas as dificuldades, a legislação tornou possível a identificação do comportamento da pessoa autista dentro das organizações de trabalho, permitindo novas dinâmicas sociais que proporcionem uma avanço na qualidade de vida. A edificação de políticas públicas que encoragem empresas a admitir autistas para além de um simples cumprimento da lei (cotas), faz com que sejam vistos por sua individualidade. É importante que haja uma preparação para atuação no mercado de trabalho, a fomentação para a produção científica e a aquisição de informações precisas. Tudo isso fortalece e viabiliza o processo de educação, conscientização e integração. "O portador de TEA é amigavel a rotina e as regras, gosta de completar tarefas e apresenta conhecimento aprofundado em determinadas áreas. São alguns de seus pontos fortes dentro de uma instituição", conclui ela.

 

Imagem: Divulgação/ UniTEA

Texto: Vanessa Pegoraro

Processando sua Doação